Honra e Gloria aos que tão novos lá deixaram a vida. Foram pela C.C. S.-Manuel Domingos Silva!C.Caç. -1558- - Antonio Almeida Fernandes- Alberto Freitas - Higino Vieira Cunha-José Vieira Martins - Manuel António Segundo Leão-C.Caç-1559-Antonio Conceição Alves (Cartaxo) -C.Caç-1560-Manuel A. Oliveira Marques- Fernando Silva Fernandes-José Paiva Simões-Carlos Alberto Silva Morais- Luis Antonio A. Ambar!~

sexta-feira, 5 de agosto de 2011

Anjos caídos do céu em tempo de guerra

 


Entre 61 e 74, a Força Aérea recrutou 47 enfermeiras pára-quedistas, que servindo o regime desafiaram a tradição.
"Ao servirem o esforço de guerra, o regime, e ao fazerem parte de um certo propagandismo, as enfermeiras pára-quedistas conseguiram introduzir um caminho pioneiro", frisa a historiadora Irene Pimentel. O regime era contraditório no que toca ao papel das enfermeiras, mesmo a nível civil.
"Por um lado, a Constituição dizia que a mulher deveria ficar em casa, a cuidar da família, e o marido era o chefe de família. Por outro, até 1962 impediu as enfermeiras de casarem, o que as levava a casar em Badajoz ou a partilharem a vida sem serem casadas, tanto para se dedicarem inteiramente à profissão como pelo facto de as enfermeiras terem de ver despedidos os homens que tratavam", lembra.
O contexto de guerra sempre favoreceu a mudança. "Com os homens mobilizados, as mulheres passam a assumir outro tipo de papéis e a trabalhar fora de casa. Já tinha acontecido em França e Inglaterra na II Guerra Mundial.Durante a guerra colonial foram recrutadas 47 enfermeiras, que ‘foram ficando'. As suas comissões não tinham limite. SEIS MARIAS. Para o primeiro curso de pára-quedistas foram recrutadas 11, mas apenas seis conseguiram concluí-lo, a 8 de Agosto de 1961. 
                                                                                                                                                          PIONEIRAS:

Duas das ‘Seis Marias', Nazaré Andrade e Zulmira André, já faleceram. A capitã do pelotão, Ivone Reis, padece de Alzheimer. 

SALTOS O número de saltos dados pelas enfermeiras varia consoante o tempo de serviço. Algumas efectuaram mais de 300.

ISABEL RILVAS
A primeira pára-quedista da Península Ibérica foi a mentor do pelotão que Kaúlza de Arriaga criou.

EFEMÉRIDE 

Todas as enfermeiras pára-quedistas foram condecoradas pela Força Aérea há 25 anos.

BAIXA

A única baixa do pelotão de enfermeiras foi Maria Celeste da Costa, apanhada pela hélice de um avião em 1973.

FERIDAS

Apenas dois elementos do corpo de enfermeiras foram feridos: Céu Esteves cortou-se numa hélice. Cristina Silva foi atingida por um tiro.


Falar destas mulheres é uma homenagem à sua bravura. O 1891 não podia ficar em silêncio.


Pode ler tudo aqui